aramar,remachão

aramar,remachão

 

ara mar, pescador

acorda cedo, remo em punho: haja mar

deixe a flor de iemanjá

todo dia no pé da aurora

toda hora, faça sol ou poesia: faça sal

de suor sobre a canoa

de tanto mar sob a canoa

solta a rede, pega nada, solta a linha, pega menos

vai de novo, ara mar sonhador, busca o fundo

solta a rede, pega peixe, solta a linha, pega peixe

vai de remo

volta rico

vai de remo:

“esse tem mais de quinze anos, foi feito pelo meu pai”

disse neto na bahia do forte

“esse trouxe de toque toque logo que vim dar aqui”

falou um dos irmãos benê da bela ilha

“esse tava boiando, quebrado, abandonado, pesquei para você”

disse o amigo índio aratangy

“esse restava com os escombros da velha casa”

eu mesmo que achei na maré de moreré

vai de remo, por peixe ou solidão, haja sal, ache mar e volte imenso

 

rema chão, lavrador

acorda cedo, enxada em punho: haja terra

todo dia é pé no barro com gole de aurora

café amargo pra benzer, cana doce pra encantar

toda hora, faça sol ou poesia: faça sal

de suor sobre a lavoura ou sob a palha do chapéu

corta o mato, traga o fumo, penera o solo, canta o tom

solta a enxada, puxa terra, solta o grão, cobre a terra

faz crescer, faça chuva ou solidão: deixa ser

de semente virar pão

vai de tempo, volta por grão ou por desgraça

haja Terra, explore o chão, ache terra e volte sempre

 

aramar, remachão

rema tanto que, de arar, esse chão vai achar mar

Copyright © deco adjiman